"não sei quanto o mundo é bom, mas ele ficou melhor desde que você chegou"
A minha gravidez não foi planejada, engravidei tomando remédio e foi um susto grande. Eu e o Thiago estávamos namorando há quase 2 anos, quando em junho de 2009, minha menstruação atrasou e eu desconfiada, fiz um teste de farmácia que deu positivo. Foi o Thiago que olhou o teste enquanto eu tomava banho e disse assim: “É, acho que você está grávida, torce pra ser menina”. Eu tinha certeza que não estava grávida, não sentia nada diferente, nada tinha mudado. Para confirmar, no mesmo dia fomos até o hospital Vera Cruz fazer exame de sangue. Era uma terça-feira, eu entrei no consultório com a maior cara de pavor, falando pra médica o por que de estar ali, contando que havia feito o teste de farmácia e tal, e ela com uma paz me disse: "é, então pode estar grávida sim". Quase voei no pescoço dela! Como assim alguém fala algo tão assustador naquela calma? Era a Dra. Mariana Simões. Colhi o sangue, fomos pra casa pra fazer hora e voltamos ao hospital. Lá outro médico nos deu o resultado porque a Dra. Mariana estava num parto. Ele foi curto, grosso e sem dó: “deu positivo, parabéns, agora é só pensar no pré natal”.

Saí de lá tremendo, com o papel na mão, com todos os sintomas de grávida, lendo o “positivo” e o nome da médica... Mariana, o nome que eu queria colocar na minha filha quando tivesse uma.

Aí foi aquela novela, conta pra família, ouve sermão, chora, desespera, enlouquece. Até que ficou tudo bem, Thiago e eu resolvemos noivar e morar juntos. Arrumamos o apartamento, compramos as coisinhas aos poucos, ganhamos outras, e assim nos ajeitamos.

A gravidez foi tranqüila apesar de ter um médico terrorista. Decidi ficar com ele quase até o fim porque os outros que eu procurei que atendiam pelo meu plano de saúde eram bem piores que ele, cesaristas, mercenários e por aí vai.

Eu fiquei enorme, me perguntavam se eram gêmeos. Não teve uma única vez nos últimos dias de gravidez que eu saí na rua sem ouvir essa pergunta de alguém. As pessoas me olhavam encantadas, me paravam pra conversar, me davam elogios.



Foi divertido ser grávida, apesar das dores nos ossos lá de baixo e do pé tão inchado que de noite eu mal conseguia andar. Aproveitei a gravidez do jeito que eu pude. Comprei roupas de gestante, passava nas filas preferenciais, andava esbarrando e exibindo o barrigão feliz da vida por aí. Fiz amigas grávidas e mães na internet.



Comi tudo o que eu quis, bebi muita água, tomei sorvete direto do pote. Recebi muitas massagens deliciosas nos pés, feitas pelo Thiago. Passava horas com eles mergulhados na salmora. Tomei muitos banhos demorados sentada. Lavava a louça e cozinhava sentada.



Tirava mil fotos da barriga. Filmava os movimentos bruscos da bebê lá dentro. Alisava por incessantes minutos a barriga, sentindo os chutes fortes e as passadas de pé. Me lambuzava de creme anti-estria que não resolveram nada. Comprei sabonetes caros pra me dar ao luxo de tomar banho demorado com eles. Li livros sobre gravidez e parto. E no final, li centenas de relatos de parto e chorava em todos eles, imaginando a minha vez.



Um dia fui ao Samaúma, indicação de uma amiga (coincidência ou não, minha filha nasceu no dia do aniversário dela). Já conhecia a Lara assim de vista e encontrei com a Dra. Mariana lá também!
Fomos a uns 5 encontros, depois por motivos de mudança e do trabalho do Thiago, acabamos não conseguindo ir a mais nenhum. Voltamos a freqüentar no penúltimo encontro do ano de 2009. Foi o dia que Lara veio conversar com a gente e então decidimos que seria perfeito tê-la como doula. Logo depois disso, conversamos com a Dra. Mariana e determinamos que ela seria nossa médica. Nós vimos desde o começo que foi essencial tê-las conosco, já que tínhamos uma segurança enorme e tirou um super peso das costas, além de afastar o medo de tentar um parto com plantonista. Hoje eu sei que seria impossível um parto normal com plantonista, já que a primeira dor forte eu ia me assustar e correr pro hospital.

A família de ambos estranhou a nossa decisão de trocar de médico nas últimas semanas. Ouvi muitos palpites sobre a minha escolha de um parto normal e tive que ser muito forte pra aturar todos.

No dia 19 de Janeiro de 2010, uma terça-feira, com 39 semanas e 6 dias, fui a uma consulta com a Dra. Mariana. Lá ela me examinou e fez o deslocamento da bolsa. Como dói aquilo, com certeza dói muito mais do que as contrações. Estava com 2 cm de dilatação! Saí de lá bem contente, com o sentimento de que estava perto de acontecer. Na madrugada comecei a ter dores, pareciam cólicas menstruais, mas não muito fortes, tanto que eu voltei a dormir e no dia seguinte não senti mais nada. Na quarta-feira à tarde meu tampão começou a sair. Saiu aos pedacinhos. Nunca imaginei que uma meleca me faria assim feliz. Sentimento de que aconteceria logo crescia. Na noite de quarta-feira, as dores voltaram mais intensas e eu comecei a anotar a freqüência delas. Vi que elas tinham uma freqüência, duração parecida e estavam aumentando, tive a certeza de que eram as contrações. Quando nunca se teve uma contração, as primeiras são novidade, pelo menos pra mim, não sabia como era. Lá pelas 2h da madrugada, liguei pra Lara. Ela perguntou como estavam as contrações e disse pra eu entrar no chuveiro e ficar lá por um bom tempo. Foi o que eu fiz e as contrações não cessaram, mas amenizaram e eu fui dormir. Acordei quinta de manhã ainda com contrações. Às 15h elas pararam. Lara e Dra. Mariana disseram ser pródromo (falso trabalho de parto).

As contrações voltaram na quinta à noite, mas muito irregulares. Na madrugada elas ficaram mais fortes e regulares, comecei a marcar e tentei dormir um pouco, mas acordava a cada contração, que eram bem mais fortes quando eu ficava deitada. O Thiago resolveu ser solidário e entrou em trabalho de parto junto comigo. Era eu balançando o quadril durante as contrações na porta do banheiro, tentando acalmá-lo enquanto ele vomitava um monte. Fiquei preocupada e com muita dó, quando ele vomita é porque está mesmo passando muito mal.

Pela manhã falei com a Dra. Mariana e logo depois ela foi me examinar. 3 cm de dilatação e colo do útero afinando. Ela disse pra eu ir caminhar, relaxar, etc. A Lara também dizia a mesma coisa, relaxar, curtir o Thiago e os nossos últimos momentos como dois e tentar dormir um pouco.

Minha mãe apareceu em casa, achei que ela ia ter ataques, ficar nervosa, me mandar pro hospital. Mas ela estava calma, disse pro Thiago dormir um pouco pra melhorar e me levou pra dar uma volta. Depois quando voltamos, ela arrumou todo o meu apartamento, fez massagem nas minhas costas durante as contrações e foi buscar almoço pra gente.

Deitei junto com o Thiago que estava febril e tentei dormir. Dei umas cochiladas até que não aguentei mais nenhuma contração deitada, levantei e fiquei um pouco no chuveiro. Minha mãe chegou com uma sopa. Demorei muito tempo pra comer, já que a cada contração eu precisava ficar em pé, balançando os quadris, andando e recebendo massagem da minha mãe nas costas. Eu sentia mais dor na lombar do que na barriga.

  
Quando senti que não dava mais pra ter uma contração desamparada, liguei pra Lara e ela veio logo após o almoço. Como era bom ter uma doula! Me sentia muito tranquila. As contrações estavam ritmadas e bem fortes, mas suportáveis, ainda mais com as massagens que a Lara fazia nas costas.

 

Pra acelerar o trabalho de parto, ela foi pra cozinha fazer chá e eu entrei no chuveiro. Tomei chá de gengibre, canela, pimenta rosa e chocolate em pó, não me lembro se tinha mais ingredientes. Mas até que não estava tão ruim. Lá pelas 18h a Dra. Mariana veio me examinar e eu estava com 5 pra 6 cm de dilatação e o colo do útero bem fininho. Ela disse pra eu ir fazer uma caminhada pra neném descer, ainda estava alta. Lara e Mariana foram embora e eu pedi pro Thiago pra irmos caminhar. Mas ele estava ainda muito mal, disse a ele pra descansar e comecei a andar pelo apartamento. Um micro apartamento na verdade, de um quarto só. Eu ia e voltava, da sala ao quarto, pelo corredor estreito. Quando vinha uma contração eu andava mais depressa, balançava os quadris e abria a boca como a Lara havia me ensinado. A janela escancarada por conta do calor, com certeza eu tinha a plateia do prédio da frente me assistindo. Sentia muita vontade de fazer xixi, quase toda contração eu ia pro banheiro. Urina mesmo nem saía direito, era só vontade. Nos intervalos das contrações eu ia pro computador. Conversei com algumas amigas no MSN e relatei o trabalho de parto no twitter. Nisso eu recebi a ligação da EPTV, filial da Rede Globo em Campinas, interessados em fazer uma entrevista comigo, pois acharam o máximo eu relatar meu trabalho de parto no twitter.



No momento que eu não agüentei mais ficar sentada de tanto que as contrações estavam fortes, falei com a Lara, ela estava voltando. Nessa hora eu não conseguia mais me concentrar muito bem, nem a ideia de sorrir a cada contração pra ela ser menos pior estava dando certo. Mas eu permanecia muito feliz porque estava chegando a hora!

Decidi tomar um banho e ficar pronta. Na hora que eu entrei no chuveiro, senti uma água quente descer. Não era muita água, mas escorreu pelas pernas. Lara disse que poderia ser a bolsa. Tomei o banho, coloquei um vestido e um top por baixo. Lara penteava meus cabelos entre uma massagem e outra nas contrações. Meus pais chegaram quase junto com a Dra. Mariana.



Um novo exame de toque, 9 cm de dilatação! Porém, bebê alta. Fomos caminhar na rua. Foi uma cena inusitada, meia noite, uma grávida enorme acompanhada de médica, doula e pais, andando na Av. Barão de Itapura, escoltada pelo Thiago que ia devagarzinho atrás no carro, caso acontecesse alguma coisa, o carro estava ali. Levamos buzinadas e apareceram baratas pelo caminho, Dra Mariana correu delas morrendo de medo.



Chegamos à padaria, peguei um sorvete de limão. Na primeira mordida me senti estranha, uma pressão muito forte no ventre. Pedi pra ir pro hospital, nem sei bem o por que, só sei que tinha que ir. Me colocaram ajoelhada no carro, no banco de trás, todo mundo da padaria olhando. Dra. Mariana foi conversando comigo no banco da frente e eu distrai um pouco, até que chegamos em casa, eu nem quis sair do carro. O Thiago subiu pra pegar as coisas e eles estavam se organizando pra ir e eu pedi pra alguém ir comigo no carro além do Thiago. Eu estava com medo, minhas pernas doíam e aquela posição era muito estranha. A Lara foi comigo, fazendo massagem nas contrações. Eu ia olhando o caminho, chupando o sorvete, querendo chegar logo. Pra minha sorte, as contrações dentro do carro não foram tão fortes.

Chegamos no hospital e entramos sem problemas. Um enfermeiro veio acompanhar eu e Lara. Fez elogios a mim, disse que toda mulher devia ser forte como eu e chegar daquela maneira no hospital. Fiquei feliz com o elogio e só matutando na minha cabeça: é só isso? Essa é a dor? Lara disse que eu já havia passado pelo pior e que a dor maior era pra dilatar e eu estava quase totalmente dilatada... Então é assim, só? Algo dentro de mim dizia que não seria só aquilo.

Entramos na sala de parto humanizado do hospital Vera Cruz. Fiquei tão feliz de ter entrado naquela sala, tudo estava acontecendo do jeito que eu queria. Eu estava calma, tranqüila, conversando. Dra Mariana até comentou com as enfermeiras se parecia que eu estava com 9 cm de dilatação. Deu um aperto dentro de mim e eu me perguntei de novo se era mesmo só aquilo. Fiquei em cima da bola de pilates e depois entrei na banheira. A partir daí, as contrações vieram de um jeito arrebatador. Tão forte que eu até desligava a hidromassagem pra me concentrar.



A Lara veio com um envelope de uns documentos meus e a foto da Nossa Senhora do Bom Parto estava junto. Minha mãe jura de pés juntos que não foi ela que colocou. A foto apareceu dentro do envelope e até hoje não sei como.

Como a bebê estava alta, Dra. Mariana resolveu romper a bolsa e pediu pra eu fazer força pra ela descer. Tive medo disso, estava com medo de tudo. Perguntei muitas vezes pra ela se ia doer. Não doeu, fiz força e deu certo, a bebê desceu um pouco. Fui para o chuveiro. As contrações estavam fortíssimas e eu fiquei assustada. A partir dali, o medo tomou conta de mim e eu me senti super frágil e também como se estivesse falhado em algo. O medo daquela dor forte era tanto que eu fiquei com receio até de sentar na cadeira de cócoras. Eu não queria me mexer. Depois que eu sentei, Lara veio atrás de mim pra fazer massagem e segurar o chuveirinho. O Thiago estava sentado do lado. Tentei me distrair, olhava pro chão, olhava a Dra. Mariana tirando fotos da gente, olhava pra barra que tinha na minha frente e a segurava a cada contração como a Lara pedia. Mas estava forte demais, eu não tinha mais condições. Não tinha força pra segurar a barra, estava exausta. Minha vontade era parar tudo, inclusive a dor, dormir e continuar depois. Queria deitar ali mesmo e sentir a água cair em mim. Não conseguia me concentrar. Já estava chorando nas dores. A Lara vinha falar comigo, mas agora eu só me lembro da frase “olha no meu olho” e eu olhava aquele olho azul, me concentrava na sua cor e mais nada, implorando pra que tudo acabasse.


 


Me levaram pra cama, fiquei de quatro pra fazer exercícios pra bebê descer. Aí foi insuportável, gritei de dor. Lembro que eu disse algo como “não dá mais, eu não suporto mais”. Parecia que eu ia quebrar no meio. Aí me levaram pra tomar analgesia.

Fui pra outra sala, fiquei sentada na bola de pilates ao lado da maca. A cada dor eu sentia vontade de fazer força e saía muita água, escorria pelas pernas. Queria me enfiar dentro da bola de tanta vergonha com os gritos que eu dei naquela sala, mas era involuntário, a dor estava forte demais. Lembro da Dra. Mariana agachada atrás de mim e eu perguntando onde estava o médico que ia aplicar a analgesia, se ele viria logo. Quando ele finalmente chegou, me colocaram na maca. Eles disseram que não podia me mexer enquanto ele aplicasse. Como não me mexer durante a contração? Segurei a mão da Lara e rezei alto. Pedi pra Deus não me dar nenhuma contração naquele momento, mas ele quis me mostrar que ainda tinha força em mim e veio a contração. Urrei de dor, mas acho que não me mexi.

Saí da sala carregada por Lara e Dra. Mariana. A Sensação era de que eu tinha pés de elefante e não sabia andar muito bem com eles. Fui andando, meio torto, mas sentia tudo.

Finalmente ia acontecer e eu estava mais calma, sem as dores da contração. Me sentia um pouco falida, mas indo em frente porque só assim eu conseguiria. Foi super difícil pra achar uma posição pra eu fazer força no expulsivo.



A posição mais confortável pra mim não dava pra fazer uma força favorável. Até que colocaram as perneiras na cama e deu pra fazer a força ideal. A luz da sala estava apagada, Dra Mariana usava uma lanterna. Estava um ambiente muito gostoso e acolhedor.

Dra. Mariana colocava a mão na minha barriga e me dizia quando vinha a contração. E eu fazia a força. Respirava fundo, segurava e fazia a força. Era difícil concentrar a força embaixo, parecia que ficava toda entalada no meu pescoço. Eu senti muita falta de ar. Quando eu acabava de fazer a força queria respirar todo o ar do mundo. Sentia sede, muita sede.

Depois das dores insuportáveis eu fiquei muito medrosa. Ainda sentia uma dor, mas não era da contração. Era uma dor aguda, como se fosse uma grande pontada dentro de mim. Falei sobre essa dor, mas continuei.
Não sei bem em qual parte de tudo isso, mas minha mãe entrou na sala também. Ficou ela e Lara do meu lado esquerdo e o Thiago perto da minha cabeça, secando o meu suor. Todos de roupinha verde, com touquinha.

No momento em que apareceu a cabecinha, Dra. Mariana anunciou que ela tinha cabelos. Não sei se eu só pensei ou se falei que achei que ia ser careca. Ela queria pegar um espelho pra eu ver. Eu disse “não gente, vamos acabar logo com isso”. Eu estava exausta de verdade. Minha mãe tirou uma foto e me mostrou.

Não sei quanto tempo demorou. Eu me concentrei na força e no que todos falavam, principalmente o Thiago e a Dra. Mariana. Quando o Thiago começou a falar “vai amor, está saindo, ela está vindo”, eu me enchi de emoção. Ele ter falado assim era tudo o que eu precisava, pra seguir em frente, pra ficar calma, pra receber nossa filha.

Depois que a cabeça saiu, foi mais fácil, aquela dor aguda diminuiu e eu senti o resto do corpinho sair. Ela não chorou, deu só um gritinho e veio pro meu colo. Neném não chorou, mas a mãe...


 


4h28 da manhã do dia 23 de janeiro de 2010 Ali estava a minha Mariana, finalmente nos meus braços, toda perfeitinha, me olhando com os olhos atentos, tentando mamar, abrindo a boquinha. Todo mundo falando que ela era enorme e eu achando ela pequenininha e linda, aconchegada no meu colo. As enfermeiras me ajudaram pra ela pegar o peito e mamou.


 Meu coração encheu de amor, falei coisas lindas pra ela ao mesmo tempo que soltei a pérola “é menina mesmo?” tentando olhar do meio das perninhas. Foi mágico. Foi a maior emoção que eu já senti em toda a minha vida. Sempre imaginei esse momento, mas foi muito melhor do que eu pensava.


Sentia uma dorzinha, um incômodo. Perguntei da placenta, ela ainda estava lá dentro. Dra Mariana pediu pra eu fazer uma forcinha, ela saiu e nada mais de dor incomodando o meu momento.

O Thiago cortou o cordão. Fiquei super feliz, ele conseguiu! Aquele Thiago que não podia ver sangue esteve ali o tempo todo comigo, cortou o cordão, tirou foto da placenta, olhou a sua filha nascer e me deu forças pra continuar.



Minha mãe estava realizada, amou ter visto o nascimento da neta, ficou super emocionada e a sua felicidade em poder estar junto nesse momento foi muito gratificante pra mim também.



Quando levaram a pequena (ou grande?) pra limpar, medir, pesar, o Thiago foi atrás e eu fiquei ali, olhando pro teto e pensando no que eu havia acabado de viver. Foi uma experiência maravilhosa e transformadora. Apesar do cansaço eu estava eufórica, querendo conversar sobre o parto, querendo ver minha princesinha, querendo abraçar o Thiago.

4.455 gr e 52 cm de bebê. Era realmente muito grande. Mas como era linda! Como é linda! A cara do Thiago, o que me fez ficar ainda mais apaixonada.



Logo na primeira noite, ainda no hospital, eu conheci o pai maravilhoso que minha filha tem. Ele me fez descansar e cuidou da nossa Mariana. Ele é simplesmente perfeito! Troca fralda, dá banho e faz dormir.


 Nossa estadia no hospital foi muito gostosa, a gente se curtiu pra caramba. Uma semana depois olhamos as fotos e ele disse: “queria tudo de novo!” Eu também, queria viver aqueles momentos novamente, sentir toda aquela euforia, felicidade e emoção. Foi uma delícia! E eu fiquei encantada com o parto. Não me arrependo de nada e faria tudo de novo, muitas vezes.

Depois do parto, fiquei muito ligada a Deus. Durante todo o trabalho de parto eu tive muita fé nele e na Nossa Senhora do Bom Parto, que apareceu misteriosamente em imagem na sala pra me iluminar.

Eu tenho muito que agradecer a Deus. Me deu uma filha linda, um marido perfeito e o parto do jeito que queríamos. Agradeço ao Thiago que ficou o tempo todo comigo, se preocupou, me acalmou e que me ama de um jeito lindo. Agradeço à minha mãe que cuidou tanto de mim, e a ela e ao meu pai, que respeitaram minha decisão, não interferiram em nada e sim incentivaram e estavam orgulhosos.

Agradeço a Dra. Mariana e a Lara, que foram simplesmente espetaculares. Trataram-me como única, me deram segurança. Foram profissionais e amigas, e o meu parto foi assim tão especial e deu tudo certo devido a elas. A minha Mariana já ia ter esse nome, mas agora temos um motivo a mais. E assim, para completar a homenagem, nossa pequena leva o nome, Mariana Lara Pires Braga.





E agora, eu tenho uma família. Um marido e uma filha dos sonhos. Sou esposa, sou mamãe e sou imensamente feliz!


 

Nossa matéria na EPTV Campinas:




postado por Anne às 19:38 -
37 Comments:
  • Em 26 de março de 2010 11:24, Blogger About Vanessa escreveu:

    Oii Anne, td bem??
    Acabei de ler o seu relato, e fiquei super emocionada...nossa, tô chorando aqui!!...rsrs
    Achei tão lindo, tão emocionante...que nem consigo te falar nada...apenas que tudo isso foi muito lindo.
    Que Deus abençõe vc e essa linda familia que vc está constuindo. Aproveite cada momento com a Mari, que com certeza deve ser mais que especial.
    Eu assisti a reportagem na EPTV, e foi lá que peguei seu twitter e cheguei até seu blog. Achei a história tão linda e interessante que não poderia deixar de conferir, e desde então, ADORO tdo o que leio por aqui....
    Um grande beijo pra vc, e pra essa florzinha linda que Papai do Céu colocou na sua vida!!!
    *Vanessa - Sumaré/SP*

     
  • Em 26 de março de 2010 11:24, Blogger mamaedealice escreveu:

    Anne, parabéns de novo! Seu relato está muito lindo, sincero e emocionante. Me emocionei muito vendo o primeiro encontro de vocês... Que momento forte!
    Mariana nasceu de uma mamãe muito corajosa!

    Beijos

     
  • Em 26 de março de 2010 11:31, OpenID liasergia escreveu:

    "Minha vontade era parar tudo, inclusive a dor, dormir e continuar depois."

    Eu tive exatamente a mesma sensação que você. Será que é padrão nos PN? hahahaha

    Pelo menos agora, no segundo, tô bem mais tranquila e confiante, porque já sei o que me espera no parto. A ansiedade agora ficou concentrada só em saber se é menino ou menina e como vai ser o rostinho do bebê.

    E agora estamos aqui... à espera de entrar em trabalho de parto a qualquer momento. E além de PN, será em casa, com suas maravilhosas enfermeiras obstetrizes (depois visita o site delas, pra vc conhecer: www.primaluz.com.br).

    Parabéns pela sua fofura e pelo relato. É um incentivo muito bom pras futuras mamães que ainda têm medo do parto normal.

    Beijocas!

     
  • Em 26 de março de 2010 11:46, Blogger Crisminiaturas escreveu:

    Anne chorei lendo seu relato, aí ví o vídeo e desaguei de vez! É maravilhoso mesmo, um momento único.Valew por compartilhar!

     
  • Em 26 de março de 2010 11:55, Blogger Lilian escreveu:

    Anne parebéns pela força e pela coragem de enfrentar um parto normal,só quem ja teve é que sabe o quanto precisa ser corajosa pra ter um PN.
    A mariana é linda!!
    Que vcs sejam muito Felizes nessa nova familia que se formou!!!

     
  • Em 26 de março de 2010 11:56, Blogger Marina (Maẽrinnex) escreveu:

    ai que coisa lindaaa.... de todas as frases, sem duvida VER a cena dela com vcocê, nos primeiros segundos de vida, me vem um video, um filme na cabeça!!! ate hoje devo um relato de parto e um dia escrevo.. kkkk.... tenho as fts, os videos, mas a preguiça (aff), nao deixa.. mas vamos láaa. por enquanto ta aquoi na caixola. rss

    parabens, de novo, pela familia linda!

    p.s. mari ta cada dia mais gostosaaaaaa

    vou postar o link já NO #TURMADABARRIGAAAAAAAAAAAAAAA


    /Marinnex

     
  • Em 26 de março de 2010 12:29, Anonymous Anônimo escreveu:

    eu não sou mae, mas fiquei mto emocionada com o seu relato de parto.
    qdo vi o video do parto eu chorei muuuuito, mto mesmo!!!!

    que Deus preencha cada dia mais de bençãos e saude essa familia linda!!!!

    Cínthia Correia

     
  • Em 26 de março de 2010 13:53, Blogger mnm escreveu:

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • Em 26 de março de 2010 13:59, Blogger mnm escreveu:

    nossa adorei o seu relato de parto, e sua bebe parece uma bonequinha... eu já sou mãe de um menino de 2 anos e e estou gravida de novo de outro garotão!!! é uma delicia essa fase de gravida!!! vou te seguir no twitter.. sou a @mnm_2 bjos

     
  • Em 26 de março de 2010 14:21, Blogger Tenikey escreveu:

    Anne, que relato de parto mais lindo!! estou super emocionada. nossa deu até uma invejinha viu.. rsrs.. inveja boa, eu quis tanto o parto normal e nao consegui, agora me peguei pensado q se eu tivesse o apoio q vc teve será q eu tinha conseguido meu tão desejado pn?
    a mari é linda e sua familia é linda viu!!
    desejo tudo de bom pra vcs.

    beijos

     
  • Em 27 de março de 2010 05:24, Blogger hpires escreveu:

    Fico feliz em saber de pessoas que nem conhecem pessoalmente minha filha mas que se identificaram com a decisao dela em ter um parto normal. Coragem, determinacao e a fé demonstrada são virtudes que a Anneliese me honra como filha e que pode ensinar a neta Mariana e tudo por uma humanidade melhor, mais compreensiva e mais respeitadora da Natureza Divina. Luz, Paz e Amor.

     
  • Em 27 de março de 2010 15:35, Blogger Marília, mãe do Miguel escreveu:

    Anne, muito lindo! Passei minha gravidez toda lendo relatos de parto e me emocionando em todos...achei que passaria depois que eu parisse...que nada! Me aguentei até ver o vídeo!Lindo demais!
    Eu fico meio assim quando as pessoas me parabenizam pelo meu parto normal, sei que é de coração e tal...mas no fundo acho que coragem mesmo é se submeter a uma CIRURGIA (cesárea) sem necessidade...mas (não vou entrar em assuntos polêmicos) não posso deixar de te parabenizar!Não, pelo parto em si (só), mas nadar contra a corrente, e lutar por algo que acredita (ouvindo opiniões e opiniões)não é pra qualquer uma não!
    Te admiro mais ainda... Sua doçura esconde uma mulher de fibra hein?

    Quanto ao parto:

    Essa parte eu ME VI nela, como pode?

    "Minha vontade era parar tudo, inclusive a dor, dormir e continuar depois."

    HAHAHAH

    E pelo visto não é só eu né?Comentário ali em cima fala a mesma coisa.
    Eu cheguei a fazer isso. Quase na hora do expulsivo eu deitei de lado e cheguei a fechar os olhos...mas antes de 1 segundo veio outra contração! HAHAHAH.

    É muito louco mesmo, a gente lembra da dor, mas não lembra né? Eu faria tb, tudo de novo.

    Quanto à calma: qdo cheguei no hospital todos me tratavam como uma anomalia...como assim ela ta quase parindo e ta calma assim?rs...
    Fico imaginando como as outras mulheres devem chegar né?Eu só me desesperei quase na hora do expulsivo...

    AAAAI QUE SAUDADE.

    O Parto normal deixa a gente ~tão mais MULHER, femea, bicho né? Acho que ate a aparencia muda.

    Vc parece mais madura. Mais completa. Deve estar mesmo!

    Parabéns pela familia linda que constituiu, da maneira mais natural que existe.

    Ah, parabéns pelo seu esposo tb e seu pai, que é uma pessoa muito genti e parece te amar demais.

    Beijão em vcs!

     
  • Em 27 de março de 2010 18:05, Blogger Tah escreveu:

    Anne,
    Li, me emocionei, to sem palavras...só posso dizer parabéns pra vc, pro Thiago, pra sua médica, sua doula, seu familiares, enfim, para todos...Deus abençoe mto vcs!

     
  • Em 29 de março de 2010 06:24, Blogger suelem escreveu:

    Lindíssimo! Parabéns!
    Que Deus lhe conceda muito amor e paciência para educar sua filha, e que ela tenha uma infâcia muito rica em felicidade, amor e carinho! E que quando for grande, sempre ouça a vcs e a Deus para encaminha-la para um caminho de paz!

    Bj/ e fik com Deus

     
  • Em 30 de março de 2010 17:17, Blogger Thais Bessa escreveu:

    Sua filha eh uma gracinha! Parabens pela forca, nossa meu trabalho de parto durou 4 hrs e meia e eu ja acei demais, vc aguentou tanto! Bjos

     
  • Em 8 de junho de 2010 18:37, Blogger Lara escreveu:

    Nossa, Anne! Sem palavras! Que relato lindo, forte, emocionante! Estava doida pra ler e não sabia que você já tinha publicado. Parabéns pela força e pela Mariana, que é linda de viver!
    Espero que quando for a minha vez, eu consiga viver um parto tão intenso!
    Ah, a matéria ficou muito legal! Eu acompanhei o TP pelo twitter hahah
    beijão

     
  • Em 6 de julho de 2010 12:16, Anonymous Dai escreveu:

    Anne, não tive filho ainda e nem estou grávida. Não me lembro direito como achei o seu blog mas sei que te acompanho no twitter desde então (@tpmmoderna) e gente, que lindo esse relato. Li inteirinho, quase chorei e dentro de mim acendeu uma luz de "viu, se vier antes do planejado está tudo bem" e eu fiquei tão calma, tão emocionada e sonhando ainda mais na minha vontade de ter um filho.
    Parabéns pela coragem, pela filha linda e pelo marido.

     
  • Em 13 de julho de 2010 20:40, Anonymous Monica escreveu:

    Oi Anne!
    Ouvi seu relato no Samauma, mas acabei lendo aqui tb.
    Lá eu não chorei, mas aqui... hahaha
    Estou de quase 40 semanas e aguardando o TP, q será com a Mari e a Lara tb. Torço pra que o parto seja tão lindo qto o seu.
    Parabéns pela fidelidade dos fatos no momento de narrar, ficou super completo e emocionante!!!
    Bjãoooo
    Mônica

     
  • Em 13 de agosto de 2010 13:14, Blogger Carol escreveu:

    Anne somos vizinhas..hehe sou d jaguariuna,faço enfermagem e v ou fazer o curso d doula semna q vem,arabens pelo parto,foilindoooooo

    beijao

     
  • Em 31 de agosto de 2010 15:54, Anonymous Geovana Centeno (@jocenteno) escreveu:

    Ai Anne ainda não tinha visto o teu relato, ai amiga nossa que coisa linda de ver, me emocionei vendo o video, era meu sonho ter ganhado a Mariana assim, mas como ganhei o caio de cesarea, o medico achou a riscado, porque a minha gravidez teve muitos problemas durante, tanto que ganhei a Mariana antes...
    Tu é guerreira mulher, meus parabens! Muitos beijinhos na tua Mariana!

     
  • Em 3 de setembro de 2010 20:42, Anonymous Laudiane escreveu:

    Nossa flor que lindo
    estou aqui besta com os olhos cheios d'água porque nem de perto passei por tudo o que vc passou, mas a emoção de ter nossos babys no colo é a mesma é indescritível e me emociono sempre
    Adoro vc viu???
    To devendo o presente da Mari que morro de vontade de conhecer e cheirar já que acompanho sua história desde o barrigão...
    Com a correria dos dias nos falamos mesmo mas tenho um carinho grande por vc e admiração tbém.
    Tenha um excelente feriado
    Deus abençoe sua linda família
    Mil beijos

     
  • Em 4 de setembro de 2010 07:35, Anonymous Vivi escreveu:

    Oiii Anne que lindo seu relato nossa estou super emocionada!!!
    Parabéns pela Mariana é linda,por vc ser tão forte e pelo marido que te apoio em todos os momento!!!
    Parabéns de coração!!
    Felicidades!!!bjs....

     
  • Em 5 de setembro de 2010 15:35, Anonymous Andréia escreveu:

    Anne , tenho tenho 3 filhos de cesária o ultimo a 1 mes , não conhecia o parto humanizado e uma amiga me falou de vc e me apaixonei pela sua historia e Mariana, hoje apoio e acho sim ser a melhor opção , parabéns pela sua força , coragem e amor ... amor de mãe !!! bjus

     
  • Em 23 de setembro de 2010 16:19, Blogger Bruna escreveu:

    Oi amiga!!!
    Li tudinho e estou impressionada!!!
    Desde de que te conheci soube que vc é uma guerreira e daria conta de td oq vc kizesse e que fosse necessario na sua vida!!!
    A Mari é linda!!!
    Só tenho a desejar td de melhor q a no mundo pra vcs 3!!!
    Saudades...
    Bjaum =*** Bruna (Divulcamp...rs)

     
  • Em 30 de outubro de 2010 19:30, Anonymous @elisadelgado escreveu:

    Anne! Menina, estava vagando a toa na net e cheguei no seu blog!!
    Chorei pencassss vendo videoo!!
    Meu parto foi cesárea e eu me achava "a guerreira", oi??? Guerreira é vc! Nossa, tão novinha e com toda essa coragem!!! Mas sabe o q acontece, foi aquilo q vc falou em relação aos médicos... a maioria são mercenários e nem cogitam a possibilidade de um PN, vão logo marcando a cirurgia... o meu foi assim, e como eu era mãe de 1a viagem, medrosa, e ele era o médico da familia... aceitei tudo sem reclamar... mas agora pude conhecer o outro lado da história! Que coisa mais linda...
    Olha, saiba que vc ganhou uam fã, viu?? Vc é demais! Tudo de bom sempre...

     
  • Em 13 de novembro de 2010 14:46, Blogger Anna escreveu:

    Anne, que lindo!

    Estou com 37 semanas e ler o seu post é estimulante!

    PArabéns!

     
  • Em 29 de dezembro de 2010 07:51, Blogger Silvia Azevedo escreveu:

    Acabei de ler seu relato de parto e fez sorrir, mesmo quando você falava das dores. Parabéns pela coragem, pelo maridão/paizão e pela filhota!

     
  • Em 1 de fevereiro de 2011 07:28, Blogger Alice Cardoso Brandão escreveu:

    Nossa, que lindo! Parabéns pela menina linda!

    Não ia comentar mas achei engraçado, uma amiga minha chama Lara Mariana e nunca imaginei que veria outra (ou pelo menos quase).

    Beijinho.

     
  • Em 3 de junho de 2011 16:15, Blogger Marcela Castro escreveu:

    Nossa, que relato mais lindo!! Estou aqui chorando!! Como eu queria ter um parto assim! Mas já estou de 7 meses e tudo encaminhado com uma médica mais tradicional para "tentar" um parto normal, ou seja, provavelmente será cesária... uma pena, já que eu queria muuuuito normal... E parabéns por um parto tão lindo!! Beijosssss

     
  • Em 29 de julho de 2011 16:52, Blogger Marcelo escreveu:

    Olá, logo logo nosso bebê nasce também pelas mãos das mulheres do Samaúma.
    Espero que logo eu e a Dani façamos um relato tão bonito quanto o seu!
    parabéns

     
  • Em 25 de setembro de 2011 14:29, Blogger Minha Maria escreveu:

    Adorei o blog e o relato, lindo! Sou de campinas tbm...Já estou seguindo vc no twitter...Voltarei sempre, beijão.
    www.minhapequenamaria.com

     
  • Em 19 de dezembro de 2011 10:43, Anonymous Anônimo escreveu:

    Nossa, que coisa mais linda!!!! Seu relato me emocionou e apesar de tb ter relatado toda a dor e insegurança, me deu ainda mais certeza de que quero um parto normal! Parabéns pela garra, pela força e pela família linda!

    Aliás, ficou uma grávida lindíssima! Parabéns, amei seu barrigão e sua carinha de felicidade!

    Um beijo e mts felicidades pra vc e sua família! Feliz ano novo!

    Ana♥

     
  • Em 13 de maio de 2012 12:24, Anonymous Anônimo escreveu:

    Parabéns pela bebê e pelo relato tão lindo e estimulante!
    Elisa

     
  • Em 2 de novembro de 2013 10:30, Anonymous Anônimo escreveu:

    Relato lindo.Espetacular,confesso que chorei.Corajosa e guerreira essa mamae,e o pai foi um heroi.Que venha outros relatos lindos assim.

     
  • Em 13 de janeiro de 2014 18:48, Anonymous Anônimo escreveu:

    COMO CHOREI COM A SUA HISTORIA!!!!! ESTOU COM 40 SEMANAS E 3 DIAS DE GESTAÇAO....A ANSIEDADE ESTÁ A MIL ..... NAO VEJO A HORA DE SABER SE A MINHA HELOISA VAI SER CARECA RSRSRSRS MUITO OBRIGADO CADA FOTO SUA ME ENCORAJOU BJS E DEUS ABENÇOE NOSSAS FAMILIAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     
  • Em 28 de janeiro de 2014 19:30, Blogger Samara Sarmento escreveu:

    Preciso mesmo parar de chorar. Tou aqui pesquisando sobre tampão, contração... E me deparo com esse relato lindooooo!! Oh céus, não vejo a hora do meu bebé chegar, estou com 34s e confesso que Morro de medo de ficar dias e horas sentindo as contrações por medo dele estar sofrendo... não há esse risco? Pq foi um intervalo mt Grande entre o início e o parto, neh? Beijo e que Deus te abençoe. Ah, como é a técnica de abrir a boca, sem gritar??

     
  • Em 18 de maio de 2014 19:13, Anonymous Anônimo escreveu:

    Parabéns pela Mariana, e por relatar seu parto. Acredito que a anestesia talvez tenha sido desnecessária, pois vc já estava no expulsivo, e já estava mesmo nascendo, inclusive pelo que relata a anestesia nem pegou tão bem, devido a dificuldade por já estar no expulsivo mesmo, e fica complicado e até perigoso aplicar com mais de 9 cm.

    Você esperou o cordão parar de pulsar? Tentei achar sua idade, mas não achei. pelas imagens parece ter 17. abraços.

    Saúde a Mariana.

     

Postar um comentário